segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Lua Advérsia


Tenho fases, como a lua,
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!

Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua...).
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Autor: Cecilia Meireles

PS: Já disse tudo ao postar este poema...há como era sábia Ceci....

3 comentários:

"Hamilton H. Kubo - Profundo Pensar" disse...

Realmente coberta de razão Valquíria, nada mais precisa ser dito diante de soberba poesia.

Beijos

LUCIMAR SIMON disse...

Como entendia bem a lua e as pessoas essa autora, as vezes notamos como umas e outras se confundem num misto de texto e realidade, otima pedida este texto.

um beijo, ate mais.

Lu Nogfer disse...

Ola amiga!

Somos assim né!?
De fases!
Somos cheias de encontros e desencontros!

É verdade!Sabia Cecilia!

Beijos!
Até!